O Eldorado, buscando atrair projetos em novos campos de atuação e incentivar o aprendizado corporativo, mantém o programa Oficinas Tecnológicas, que envolve os colaboradores do Instituto no mapeamento, estudo e prototipação de tecnologias que possam trazer benefícios para a própria organização e seus parceiros. Dessa iniciativa, nasceu o case “Estacionamento Inteligente”. Confira!

Por meio do programa criado em 2012, o Eldorado elege entre cinco e oito temas tecnológicos para compor o conjunto de Oficinas. Cada uma delas tem as mesmas características de um projeto de P&D que o Instituto conduz com seus parceiros, com um plano de execução, orçamento, gestão de profissionais envolvidos, eventos de capacitação, parcerias externas, metas, checkpoints de demonstração parcial de resultados e, dependendo do caso, análise de viabilidade técnico-econômica e plano de comercialização.

O trabalho envolve os profissionais de todas as unidades do Eldorado, o que também contribui para a integração dos diferentes sites. Cada membro da oficina dedica em torno de 4 horas semanais ao programa, ou seja, 10% da alocação semanal. Quando o tema abordado é mais complexo e extenso, há, também, a possiblidade de contratação de profissionais dedicados 100% para o programa, viabilizando o aprofundamento nas tecnologias dos projetos.

Hoje, o programa colhe frutos e já rendeu importantes projetos com as tecnologias estudadas. Um dos destaques é o case “Estacionamento Inteligente”, resultado da Oficina de Internet of Things (IoT). Segundo o Gartner, cerca de 3,9 bilhões de “coisas” conectadas estavam em uso em 2014 e esse número deverá subir para 25 bilhões em 2020. Os números são expressivos e mostram que IoT é uma tecnologia essencial às empresas digitais, em que redes de objetos físicos que contém tecnologia embarcada para comunicação, detecção e interação com o ambiente ao seu redor são diferenciais de mercado.

O Instituto aplicou as pesquisas realizadas em IoT no desenvolvimento de uma solução que envolve mecanismos de predição de utilização de seu estacionamento na unidade de Campinas/SP, por meio da aplicação de técnicas de visão computacional, estatística e redes neurais. A solução prevê a lotação do estacionamento da unidade através da captura de imagens via câmeras IP, que atuam como sensores na detecção de veículos,  coletando dados que alimentam redes neurais recorrentes (RNN), que levam em conta o fluxo atual de veículos, dia da semana e clima. Com os resultados da solução disponíveis em aplicativo móvel, é possível prever a disponibilidade de vagas de acordo com a previsão de horário de chegada dos colaboradores a essa unidade.

Relatórios gráficos para análise de comportamento de lotação também são gerados para apoio à decisão por parte da administração. As analises, até o momento, apontam que em dias de chuva, por exemplo, a lotação se dá antes do tempo rotineiro no período da manhã e, em dias como véspera de fins de semana e feriados, a janela de tempo de lotação também é adiantada.

As possibilidades de aplicação de Internet of Things nos setores da saúde, agroindustrial e eficiência energética são extensas. Na área médica, essa tecnologia pode ser utilizada para aumento de qualidade de atendimento por meio do auxílio na composição de escalas de especialistas de acordo com a previsão de demanda, na gestão do fluxo de pessoas no ambiente hospitalar e no controle de utilização de insumos.

Já na agroindústria, a solução pode ser aplicada em monitoramento e otimização de processos executados por veículos (caminhões e tratores), visando à redução dos custos de mecanização, por meio de economia de combustível e redução de horas de operação. O modo não invasivo de monitoramento, que é base dessa solução, utiliza câmeras como sensores, facilitando a implantação dessa solução em grandes ambientes compostos por frotas mistas de veículos, reduzindo seu custo de manutenção, evitando adaptações e a necessidade de retrofit em equipamentos. Com essa tecnologia, será possível atuar de forma preventiva na maioria das ocasiões, suportando os setores citados na digitalização de seus processos.