Desde a minha primeira participação no The Developers Conference como ouvinte, muitas coisas mudaram. No início, minhas trilhas favoritas eram aquelas que faziam parte do meu universo, que eu queria aprender, absorver e entrar no mercado. De olho nas palavras, novidades e assuntos, estava eu entre bloco de notas e cadernos – muitas coisas passam pela cabeça dos participantes. Com apoio do Adilson Chicória e Matias Schertel, pessoas que inspiram vários profissionais, muitas trilhas, palestras e workshops depois, registro aqui sobre minha participação e os bastidores da Trilha de Design Thinking.

A trilha foi também um palco de experimentação para um novo desafio profissional: munida de canetinhas e flip chart aprendi a fazer live sketching*. Mesmo há tempos palestrando, ministrando workshops e ajudando em eventos, me expor e expor meu processo mental de notas na frente de todos foi um grande desafio. E agora, apresento a vocês como ficou o resumo das palestras com minhas anotações.

Design Thinking aplicável no dia a dia | Samuel Thomé da IBM

Samuel abriu a trilha apresentando o tema e ajudando os participantes a entender e a se adequar a diferentes tipos de realidades, seja ela técnica ou não. Além disso, nos falou sobre a sua experiência e desafios para a introdução do Design Thinking a um time de desenvolvedores.

 

Service Design Inside: Um estudo de caso em uma empresa no setor de telecomunicações | Caio Barão

O Caio nos trouxe sua experiência, desafios e aprendizados adquiridos a partir do trabalho de design service dentro da organização, e não como uma consultoria externa. Seus exemplos foram ricos, detalhados e mostraram as técnicas utilizadas para o processo de mudança.

Fun Thinking: a diversão como elemento chave de resolução de problemas | Daniel Martins

Daniel começou a palestra com um questionamento profundo: “Quanto tempo faz que você não se diverte?”. Também mostrou o processo químico do cérebro depois de uma atividade “divertida” e nos apresentou cases de soluções de problemas centrados no usuário utilizando metodologias de game design.

 

Por que as perguntas vêm antes das respostas | Patrícia Guaragna Souza

Pode parecer óbvio, mas a Patrícia foi excelente ao nos mostrar que se os questionamentos não forem muito bem elaborados, os projetos podem ser comprometidos e até mesmo fracassarem. A palestra tinha a proposta de destacar a importância das perguntas e como devem ser direcionadas para trazer as respostas de mais valor. Ela foi muito bem orquestrada!

Como inovar com realidade virtual e Design Thinking | Vanessa Camargo

O objetivo dessa palestra foi apresentar e exemplificar como o design thinking pode ser integrado à realidade virtual na imersão, ideação e prototipação de ambientes virtuais e experiências imersivas. Apesar de esperar uma música da Vanessa Camargo, ela deu um show de simpatia e ainda nos ensinou muito sobre o mercado de realidade virtual e como a tecnologia pode ser aplicada às estratégias de marketing.

Como causar alto impacto social com Design Thinking | Leo Veri

A última palestra da trilha foi emocionante e nos mostrou que Design Thinking também pode ser usado para impactar a vida das pessoas positivamente, abrindo portas e levando o conhecimento e oportunidade para todos \o/

 

Com esse exemplo, uso as palavras do Leo para agradecer a oportunidade que vocês me deram para transformar o conhecimento dos palestrantes da trilha em desenhos, sketches, doodle ou mapas mentais.

“Não espere alguém pedir, vai lá e faça suas oportunidades”

 

*Live Sketching: São ilustração, mapas mentais e registros visuais de um evento, workshop ou palestras em tempo real.