Estácio de Sá

Em agosto de 2011, em uma iniciativa inovadora, cerca de 6 mil alunos da Universidade Estácio de Sá, receberam gratuitamente um tablet, que serviu de plataforma para a distribuição de todos os livros e materiais didáticos de seus cursos, além de permitir acesso aos sistemas do aluno, como agenda, grade de aulas, dentre outras ferramentas. Os aparelhos tiveram uma versão do sistema Android completamente customizada por uma equipe do Eldorado, com o objetivo de suprir todas as demandas da instituição de ensino, principalmente em relação a segurança do dispositivo e a viabilidade técnica para distribuição de conteúdos.

O projeto do Tablet Estácio de Sá se iniciou em abril de 2011 e teve como escopo inicial atender ao desafio de distribuir semestralmente os livros e materiais didáticos dos mais de 215 mil alunos da universidade. O tablet, por sua maior conveniência para leitura e portabilidade, surgiu como melhor opção. Na época, a universidade então abriu concorrência entre as fabricantes nacionais e a STi venceu a licitação.

Parceira de longa data do Eldorado, a empresa contratou uma equipe de desenvolvedores do instituto para criar uma versão customizada do sistema operacional Android do Google para atender aos requisitos da universidade. “A equipe do Eldorado teve como missão desenvolver solução completa para integrar acesso aos serviços, informações e relacionamento entre alunos, professores e Universidade, tudo isto via tablet”, conta Adriana Magalhães, líder do projeto.

O dispositivo precisou ter total integração com o Sistema Integrado do Aluno – SIA, onde o estudante encontra informações sobre sua grade de aulas, sistema de notas, programas de estágio e biblioteca, além da criação de uma rede social interna da Estácio, similar ao Facebook.

Outro desafio grande se relaciona à segurança do tablet, principalmente em caso de roubos ou perdas. O dispositivo precisa garantir o respeito ao direito autoral dos conteúdos armazenados. Por isso, o sistema deve ser autenticado semanalmente com a senha do aluno. Caso isso não aconteça, o Tablet é automaticamente bloqueado.

Durante o projeto, a equipe do Eldorado sugeriu diversas soluções que foram acatadas pela Estácio de Sá, como a utilização do sistema Acesso Fácil® que viabilizou atualizações do firmware, bem como a inclusão de novas funcionalidades.

Lote piloto com 6 mil alunos

Para finalizar o Tablet Estácio de Sá em tempo para o início do segundo semestre de 2011, o projeto contou com uma equipe de 19 pessoas, totalizando mais de 10.000 horas de desenvolvimento. “Foi uma experiência bastante satisfatória. Houve uma grande sinergia entre a equipe técnica do Eldorado e da Estácio. Percebemos que conseguimos uma plena satisfação do cliente”, relata Adriana.

A perspectiva é que a Universidade utilize o tablet para distribuição de conteúdos para os seus 215 mil alunos em até 5 anos. De acordo a instituição, o projeto tem um forte apelo ambiental. A migração para o conteúdo digital representou uma economia de 6 milhões de páginas em seu primeiro ano, somando 240 milhões em 5 anos.