Oficina Tecnológica de IoT

(21/07/2016)

Oficina Tecnológica de IoT 2016

Em seu 4º ano de estudo, Oficina Tecnológica de IoT abre novas frentes de aplicações e parcerias nas áreas de energia, saúde, agricultura e drones.

A forte tendência tecnológica conhecida por Internet of Everything, também chamada de Internet of Things (IoT), abrange redes de objetos físicos que contém tecnologia embarcada para comunicação, detecção e interação com o ambiente ao seu redor. No Eldorado, a Oficina de IoT tem como tema central aplicações em Smart Buildings, Healthcare e Connected Home.

O conceito de objetos conectados à web surgiu em 1999. Com as tecnologias tornando esta tendência cada vez mais forte, a Oficina Tecnológica Internet of Things (IoT) busca trazer para o Eldorado o conhecimento de arquiteturas e frameworks capazes de lidar com o intenso tráfego de dados oriundos de dispositivos diversos.

Neste ano, a oficina trabalha com demos para aplicação de conceitos de IoT. A primeira delas, o edifício inteligente, se utiliza de 80 pontos de leitura de sensores, que medem luminosidade, presença, temperatura, entre outros dados, em uma rede de 80 nós distribuídos nas unidades de Campinas, Brasília e Porto Alegre.

Outra iniciativa do projeto são as salas de reunião inteligentes, controladas através de apps que usam a localização do dispositivo para disponibilizar controles da sala, baseando-se em tecnologia Bluetooth. O aplicativo é utilizado para gerenciamento eficiente de recursos de espaço, agendamento, controle de luz, ar-condicionado e outros recursos.

A terceira demonstração da tecnologia se dá no estacionamento inteligente, que envolve mecanismos de predição de uso do espaço, com aplicação de técnicas e tecnologias big data e analytics. Com isso, será possível prever a lotação do estacionamento baseando-se somente em sensoriamento via câmeras IP, e dados históricos coletados a partir de outras fontes de dados que influenciam o comportamento dos usuários do estacionamento (como clima e datas especificas).

“Com essas informações em mãos é possível verificar como a lotação flutua de acordo com as condições. Em um dia de chuva, por exemplo, a lotação se dá antes do tempo rotineiro e, em um dia pré-feriado, essa situação também sofre alteração. Utilizamos esse mecanismo para desenvolver uma prova de conceito que pode ser aplicada em diferentes setores, como a área de suprimento de energia e indústria 4.0, por exemplo”, explica Daniel Costa, sponsor da Oficina IoT.

Em relação a Connected Home, o intuito é oferecer serviços de comunicação de dados e atuação em ambientes residenciais. “Atualmente existem diversas empresas fabricando componentes e provendo soluções de casas conectadas, por exemplo, geladeiras que se conectam à Internet e interagem com dispositivos móveis. A principal dificuldade desse mercado está na interoperabilidade dos serviços ofertados”, afirma Daniel. Portanto, o foco do Eldorado nesse nicho é estudar soluções existentes e prover frameworks que facilitem o conceito plug & play, ou seja, permitindo que novos equipamentos inteligentes sejam facilmente inseridos em uma residência conectada.

Pesquisas aplicadas em Internet of Things visam ampliar as áreas de atuação do Eldorado

O Eldorado, através do programa Oficinas Tecnológicas, busca fomentar o aprendizado organizacional e viabilizar novos projetos em campos inéditos. Essa ação envolve a comunidade do Instituto no mapeamento e no estudo de tecnologias que possam trazer benefícios tanto para a instituição quanto para seus parceiros. “Atualmente, aplicamos a tecnologia de IoT que desenvolvemos na Oficina em situações corriqueiras de nosso espaço comum. Mas a ideia é que os resultados obtidos possam ser utilizados em outras áreas”, pontua Daniel.

Os benefícios resultantes dessa tecnologia, quando aplicados em setores como saúde, eficiência energética, são extensos. Nesse ano, parcerias nessas áreas já estão sendo desenhadas. Na área médica, essa tecnologia pode ser utilizada para gerar benefícios ao paciente, ao ambiente e a gestão do ambiente hospitalar, com uma melhor gestão dos insumos e alocação de pessoal, por exemplo.

Já na agropecuária, será possível aumentar a eficiência energética do trabalho agredindo menos ao meio ambiente, por exemplo, com um sistema de gestão de utilização de insumos, energia e água, além de monitoramento de níveis críticos de indicadores de cultivo.

Além disso, o Eldorado vem analisando como os mercados de Energia e Gas & Oil podem se beneficiar das tecnologias de Internet das Coisas e Drones.

“Através do conceito de Internet of Things será possível criar soluções que gerem ações de forma muito mais preventiva do que reacionária, e serão colhidos resultados promissores em diversas áreas e setores no futuro”, finaliza Daniel.