Oficina Visão Computacional

(28/10/2016)

Oficina Tecnológica Smart Machines & Computer Vision obtém avanços promissores

Desde 2012, a área de Smart Machines & Computer Vision é estudada nas Oficinas Tecnológicas do Eldorado e, em 2016, obteve grandes avanços em suas pesquisas e aplicações.

Em 5 anos, o avanço tecnológico, os conhecimentos e as experiências adquiridas permitiram ao Eldorado atuar em diversos projetos da área de Visão Computacional e se preparar para o avanço de novas tecnologias oriundas desses conhecimentos. Neste ano, a oficina focou em três grandes frentes de aplicações: robô autônomo, aprendizado de máquina para auxílio a diagnósticos médicos (com classificação de imagens por conteúdo) e realidade virtual e aumentada.

Subestação Real

Subestação Real

“Em 2016, voltamos a olhar para a realidade virtual utilizando o dispositivo móvel Gear VR (óculos de realidade virtual) para fazer experiências sem o uso de equipamentos tão sofisticados. Trabalhamos em um case de visualização de objetos, que pode ser útil para área de engenharia e energia.”, explica Edgar Gadbem, líder de projetos do Eldorado. Outro ponto estudado foi a visualização de dados volumétricos em realidade virtual, que trará ganhos para a área médica e de Oil & Gas, consideradas estratégicas para o Eldorado.

A Oficina possui, também, uma grande ligação com as tecnologias de Smart Machines. Nessa área o foco do trabalho tem sido na evolução de tecnologias de controle e navegação de robôs. O objetivo futuro é tornar as soluções mais robustas, aplicando tecnologias que permitam que um robô autônomo compreenda sua rota e seus objetivos, e que ele seja capaz de entender quando recolheu todas as informações disponíveis no espaço em que estava atuando.

Já em Machine Learning, foi construído um sistema de busca de imagem por conteúdo mediante uma base de dados. Desse modo, é possível procurar uma imagem que tem pontos semelhantes aos da imagem dada de entrada, como o Google faz, por exemplo. “Pensamos em conteúdo e não em similaridade. Às vezes, o médico pega a imagem de um exame e faz uma busca. Nem sempre a imagem é parecida, mas o conteúdo sim”, esclarece o líder de projetos do Eldorado.

Outro estudo realizado nessa área e já finalizado abordou a técnica de aprendizado por reforço. “Trata-se de uma inteligência artificial para a qual você entrega incentivos e não incentivos. Fizemos isso com um simulador de carrinhos e um grid com semáforos, e aplicamos algumas regras de trânsito, deixando a máquina ‘fazer suas escolhas’ e ir aprendendo com os dados que computava mediante suas decisões”, finaliza Edgar.

Confira outros destaques de  2016:

Participação no Workshop de GPU Computing e CUDA

O colaborador Edgar Gadbem participou da 4ª edição do Workshop de GPU Computing e CUDA, a convite da NVIDIA, provedora do evento, no dia 6 de setembro. Com o tema “Desenvolvendo soluções de computação visual utilizando GPUs”, ele apresentou os projetos e iniciativas internas nas áreas de Realidade Virtual, Visualização de Dados, Aprendizado de Máquina e Robótica. Nessa edição, o evento contou com empresas renomadas, mostrando suas melhores práticas, e pesquisadores conceituados, que apresentaram suas pesquisas desenvolvidas utilizando GPU.

Conclusão do projeto de Treinamento Virtual em Subestações de Energia Elétrica

Aconteceu em 1° de junho o workshop de encerramento do Projeto de Treinamento Virtual em Subestações de Energia Elétrica, resultado da parceria entre o Eldorado e a CPFL. A tecnologia desenvolvida é fruto de dois anos de pesquisa e cooperação mútua entre as instituições. A ferramenta foi concebida para treinamento e reciclagem dos eletricistas da empresa CPFL, com o objetivo de garantir mais segurança e eficácia.

O novo treinamento utiliza óculos de realidade virtual, colocando o profissional dentro de um modelo virtual de subestação da CPFL. Nesse ambiente 3D, o eletricista consegue realizar as tarefas de operação e manutenção da mesma forma como seria na realidade. Vale ressaltar que, antes do simulador ser desenvolvido, realizar treinamentos reais, sem colocar em risco a segurança do colaborador ou interromper o fornecimento de energia era algo complexo. Com o ambiente de realidade virtual imersivo, que simula ambientes do sistema elétrico, passa a ser possível aos usuários finais a prática de manobras com segurança, sejam elas de qualquer natureza.

O projeto foi financiado com os recursos do Programa de P&D da ANEEL. O treinamento com o simulador estará disponível em unidades fixas em Campinas, Ribeirão Preto, São Paulo, Caxias do Sul e no Rio Grande do Sul. Além disso, haverá um aparelho itinerante para reciclagem dos colaboradores da CPFL em outras localidades.

Confira mais: http://www.eldorado.org.br/novidade/encerramento-projeto-cpfl/